Arquidiocese Notícias

Dom Murilo krieger preside Celebração Eucarística pelo congresso das santas casas

DSC07946O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, celebrou nesta quinta-feira (24), na Igreja Nossa Senhora das Vitórias, a Missa pelos 25 anos do Congresso Nacional das Santas Casas e pelos 11 anos do Congresso Internacional das Misericórdias, que ocorrem simultaneamente até esta sexta-feira, no Hotel Pestana. Nesses eventos, especialistas e autoridades nacionais, portugueses e espanhóis apresentam a situação da saúde em seus respectivos países, à luz do tema central “Imagem, Gestão e Sustentabilidade: os elos entre o passado e o futuro das Misericórdias”.

Em sua homilia, Dom Murilo falou sobre o acolhimento aos mais necessitados, como uma prática inspirada no exemplo de Jesus Cristo. “Aprendemos no Evangelho que o Amor ao próximo e a caridade são faces da mesma moeda. Se em nossas obras, faltar o amor, elas se descaracterizam. A caridade nasce da certeza de que no próximo, vejo o rosto de Jesus, independentemente de religião, raça ou qualquer coisa”, afirmou.

O arcebispo lembrou a origem dessas entidades, que nasceram da necessidade de atender aos mais pobres. “A morte de tantas pessoas, sem apoio, ajuda e recursos, gerou um movimento que criou ambientes para esses atendimentos e passados cinco séculos, as santas casas continuam fazendo o bem. Dessa forma, vemos a ação da Graça de Deus, que conduziu tanta gente nesse período”, contextualizou, pontuando a identificação de Jesus com os enfermos. “Viemos pedir ao Senhor uma bênção para que Ele desperte e faça nascer soluções para nós”, encerrou.

Provedor da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, Roberto Sá Menezes, participa da celebração
Provedor da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, Roberto Sá Menezes, participa da celebração

A cada três anos, representantes das santas casas de todo o mundo se reúnem para traçar planos para o futuro e avaliar os resultados do período anterior. São 4.200 entidades localizadas em 22 países – no Brasil, são 2.100, em Portugal, 392 e na Itália, cerca de 800. O deputado federal e presidente da Confederação Internacional das Misericórdias, Antonio Brito, apresentou um dado significativo: “As santas casas são responsáveis por 51% das internações pelo SUS. Em muitas cidades, elas são as únicas alternativas para atendimento hospitalar. O Brasil deveria seguir o exemplo de Portugal, que durante a crise abraçou as santas casas, disse.

O provedor da Santa Casa de Misericórdia da Bahia, Roberto Sá Menezes, também manifestou preocupação com os impactos da crise econômica na atuação das entidades. “Fizemos todo o possível para reduzir custos, o governo federal tem de obter fonte de financiamento, porque o sistema não suporta mais. É grande o número de santas casas fechando”, afirmou.

O presidente da Confederação Internacional das Misericórdias, Antonio Brito, participa da Missa
O presidente da Confederação Internacional das Misericórdias, Antonio Brito, participa da Missa

Santa Casa da Bahia

A Santa Casa da Bahia foi fundada no mesmo ano da cidade, em 1549, em uma modesta casa de taipa, ao tempo do então Governador-Geral do Brasil, Tomé de Sousa. Por cerca de 200 anos, foi a única entidade a prestar assistência à população baiana. Trata-se de uma associação beneficente de assistência social, que se propõe ao exercício da caridade e prestação de serviços nas áreas de saúde, ensino e pesquisa, cultura, assistência social e educação infantil, inspirada nos ideais de misericórdia, por meio de suas diversas atividades.

Fotos: Luana Assiz

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário