Arquidiocese Destaque Notícias

Em entrevista ao portal arquidiocesano, Dom Murilo fala sobre a Coleta da Solidariedade

Com o objetivo de despertar o espírito de caridade, partilha, fraternidade e de amor ao próximo, a Igreja no Brasil realiza no Domingo de Ramos – este ano dia 29 de março – um gesto concreto: a Coleta da Solidariedade, que é parte integrante da Campanha da Fraternidade. Neste dia, todos os cristãos são convidados a fazer uma doação (em espécie). O dinheiro ofertado deve ser fruto de pequenas renúncias ao longo de toda a Quaresma, como um processo de conversão pessoal. Para uma melhor compreensão sobre a Coleta da Solidariedade, a equipe da Pastoral de Comunicação conversou com o Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, scj. Confira!

dom-murilo-krieger-arquidiocese-de-sao-salvador-da-bahia

Pastoral de Comunicação (Pascom) – Dom Murilo, qual o objetivo da Coleta da Solidariedade?

Dom Murilo Krieger: O amor cristão não pode ser apenas teórico; deve, sim, se manifestar concretamente, como expressão de nosso dom, de nossa entrega. A Campanha da Fraternidade de cada ano aborda uma questão social que está exigindo uma atenção especial de nossa parte. Ao darmos nossa oferta, estamos declarando que, para que a sociedade supere aquela questão, estou disposto não só a ajudar com minhas orações e esforço de conscientização, mas também com aquilo que é fruto de meu trabalho.

Pascom – Há quanto tempo e como ela é realizada?

Dom Murilo: Desde que a Campanha da Fraternidade começou, em 1964, começou também a Coleta da Solidariedade. Parte dela (40%) é para programas em âmbito nacional – isto é, para o Fundo Nacional de Solidariedade, gerido pela CNBB. Desse fundo saem ajudas para Dioceses em que o desafio apresentado pela Campanha da Fraternidade é maior. A outra parte (60%) permanece nas Dioceses, para atender projetos locais, pelo Fundo Diocesano de Solidariedade.

Pascom – Na nossa Arquidiocese, para onde o dinheiro arrecadado será destinado?

Dom Murilo: Quando uma Campanha da Fraternidade teve um tema bem definido – por exemplo: Juventude (2013), Saúde Pública (2012), Pessoas com deficiência (2006) etc. – o resultado da Campanha foi direcionado para aquele grupo que enfrentava tal problema. Neste ano, o tema é muito amplo: a Sociedade e a presença da Igreja nela. São tantas as necessidades neste campo que precisaremos refletir para definir para que campo concreto vamos direcionar o resultado da Campanha. Afinal, não adianta pulverizar muito o que for arrecadado, pois limitado seria o resultado obtido.

Pascom – Que mensagem o senhor gostaria de deixar para que os fiéis colaborem no dia da Coleta da Solidariedade?

Dom Murilo: O apóstolo São Paulo, vendo as necessidades de algumas comunidades, fez apelos às comunidades em melhor situação, pedindo-lhes que as ajudassem. Escrevendo os Romanos, assim se expressou: “De imediato, porém, tenho de ir a Jerusalém, em serviço aos santos. De fato, a Macedônia e a Acaia consideraram bom que se fizesse uma coleta para os santos de Jerusalém que estão na pobreza” (Rm 15,25). Faço meu esse apelo, e acrescento suas palavras aos Coríntios: “Que cada um dê conforme tiver decidido em seu coração, sem pesar nem constrangimento, pois Deus ama quem dá com alegria” (2Cor 9,7).

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário