Notícias

Santos Inocentes: igreja em busca da defesa da vida de crianças e adolescentes

Santos_Inocentes-1024x861No último domingo, dia 28 de dezembro, a Igreja celebrou a festa dos Santos Inocentes, com uma Missa na Igreja da Santíssima Trindade (Águas de Meninos), presidida pelo bispo auxiliar, Dom Gilson Andrade da Silva. A celebração é uma forma de trazer à memória as vítimas do ataque de Herodes quando quis eliminar todos os meninos nascidos no mesmo período do nascimento de Jesus para evitar que vivesse o rei dos judeus”.

Embora já tenham se passado 2014 anos desde o nascimento do Menino Jesus, as práticas herodianas continuam. Crianças, adolescentes e jovens, na maioria das vezes pobres e moradores das periferias, são vítimas de violência. Além da morte o que sentencia meninos e meninas, segundo a Pastoral do Menor (Pamen) é a falta de educação de qualidade – e pesquisas  inclusive indicam o Brasil nos últimos lugares em  rankings mundiais de avaliação da qualidade na educação. Outra forma de sentenciamento é a falta da efetividade e efetivação de políticas públicas voltadas para crianças e adolescentes, a falta de acesso a saúde, a cultura e ao lazer.

Diante disso, a Igreja conta com inúmeras ações em busca da defesa da vida. Um exemplo é a própria Pamen, que acompanha Centros Comunitários e previne crianças e adolescentes das situações de vulnerabilidade social, garantindo-lhes acesso ao esporte, cultura, lazer e formação humana e profissional.

Outro sinal de vida é o trabalho desenvolvido pelo Projeto Consolação, que leva conforto e dignidade às famílias, especialmente às mães que choram a morte dos filhos. A Pastoral da Criança também desenvolve ações na Arquidiocese de Salvador, garantindo a vida de crianças e mães, por meio da redução de quadros assustadores de desnutrição.

Além dessas ações, existem ainda as que são promovidas pela Infância e Adolescência Missionárias, que luta pela vida, por direitos e por dignidade. Há ainda a Pastoral da Juventude que, entre outros trabalhos, promove uma campanha contra o extermínio de jovens.

 

Texto: Joice Santana – Pamen

 

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário