Últimas Notícias

Você está aqui: Capa / Homilia Dom Gilson

Arquivo da categoria: Homilia Dom Gilson

Assinatura dos Feeds

Solenidade de Corpus Christi 2015

Para preparar a Páscoa o Senhor envia os discípulos à cidade, para encontrar uma pessoa numa situação de trabalho, carregando um jarro de água, que os levará a uma casa e lhes mostrará uma sala… o fato mais extraordinário da história está inserido no contexto normal da vida dos homens e das mulheres… No lugar onde vivem e trabalham.

Deus não se afasta, ao contrário, vem encontrar-nos em nosso mundo.

A festa de hoje é o júbilo pela presença, pelo cumprimento concreto da promessa que o Senhor havia feito aos seus discípulos: “Eu estarei convosco todos os dias”. Cremos numa presença que é única do Senhor no Santíssimo Sacramento do altar e hoje a nossa fé adquire uma tonalidade jubilosa.

A alegria da festa de hoje se explica por algumas razões… razões essas que não podem sustentar só a caminhada de hoje, mas aquela de todos os dias. O belo das festas cristãs é que sua alegria permanece no cotidiano da vida e não dura simplesmente o tempo em que elas acontecem.

A primeira razão é a reunião comunitária ao redor do Senhor, o estar diante do Senhor, e, desse modo, estar juntos. A finalidade de Corpus Christi, disse Trento, é despertar o agradecimento e a recordação do Senhor. O Corpus Christi deve provocar a reação contra a falta de memória do homem, o ser humano com facilidade se esquece e isso pode acontecer com as coisas mais importantes. A memória deve tornar-nos, ao mesmo tempo, agradecidos.

A seguinte é caminhar com o Senhor… a procissão.  A caminhada processional é algo muito humano, a relação com Deus não exige só interioridade, requer também expressão…falar, cantar, ajoelhar-se…e caminhar juntos de maneira festiva com o Deus em quem acreditamos. A fé é uma realidade que se vive na intimidade do coração, mas que deve ter sua projeção na sociedade. Os valores do Evangelho não são reservados para as sacristias das Igrejas, mas devem alcançar o coração de cada pessoa e, a partir daí, contribuir para a renovação da sociedade.

As ruas pelas quais andaremos contam a história cotidiana das pessoas…Nessa história o Cristo se torna presente de modo concreto. A Eucaristia nos fala do concreto que é Deus na vida dos seus filhos.

HOJE PASSAREMOS POR LUGARES ONDE AS PESSOAS DA CIDADE caminham de forma anônima e sequer se saúdam tantas vezes, como se fossem estranhas umas às outras, engrossando, assim, as fileiras daquelas situações de indiferença que tanto denuncia o Santo Padre. HOJE, pela presença de Jesus na Eucaristia, o Terreiro de Jesus,  a Praça Castro Alves, a Rua Carlos Gomes e o Campo Grande, tornam-se lugar de reunião da comunidade cristã, lugar de encontro que deve continuar  depois, tendo o Cristo no centro das nossas atenções. Quando Ele está presente é mais fácil reconhecer-nos como irmãos… e não estranhos. É mais fácil e possível pensar e realizar passos concretos para construir uma cidade fundada na paz e na justiça. Mas isso só se o nosso olhar se voltar continuamente para Cristo. Ele é o único capaz de arrancar-nos do nosso egoísmo e ajudar-nos a voltar os olhos para o outro e reconhecer nele um irmão.

Jesus se interessa pela vida da cidade… por suas feridas…não podemos ficar indiferentes, acostumados, diante da violência, das desigualdades sociais, da situação das pessoas que moram em áreas de risco…das vítimas das chuvas…

CORPO E SANGUE… FALAM DE VIDA… DEUS quer se aproximar para nos comunicar a sua vida, vida em abundância.

E, por último, o conteúdo de tudo isso, seu centro e seu ponto culminante: ajoelhar-nos diante do Senhor, a adoração, a glorificação e a alegria por sua proximidade.

A festa de CORPUS CHRISTI nos desperta para reconhecer uma presença nova do Senhor e que se prolonga na nossa existência.

Uma festa para celebrar a presença de Cristo e nosso caminhar com Ele.

“O Santíssimo Sacramento é levado em procissão pelas ruas da cidade e povoados para manifestar que Cristo ressuscitado caminha em meio a nós e nos guia rumo ao Reino dos céus. Aquilo que Jesus nos deu na intimidade do Cenáculo, hoje o manifestamos abertamente, porque o amor de Cristo não é reservado a alguns, mas é destinado a todos.” (Bento XVI)

O sentido da presença constante de Jesus no meio de nós e conosco, uma presença concreta, próxima, entre as nossas casas, como “Coração pulsante” da cidade, do país, do território com as suas várias expressões e atividades. O Sacramento da Caridade de Cristo deve permear toda a vida cotidiana.

Maria, a Mulher Eucarística, foi a primeira que trouxe consigo o Verbo encarnado e a levou para alegrar a casa de Isabel. Que Ela esteja conosco no caminho!

Amém!


Cúria Metropolitana Bom Pastor - Av. Leovigildo Filgueiras, 270 - Garcia, CEP: 40.100-000 - Salvador -Ba. Tel.: (71) 4009-6666 | contato@arquidiocesesalvador.org.br
Scroll To Top