Arquidiocese Destaque

300 anos: Congregação da Paixão de Jesus Cristo celebra tricentenário de missão

Em Salvador, a Congregação Passionistas conta com a presença de três religiosos

A Congregação da Paixão de Jesus Cristo (Passionistas) completará 300 anos de vida e missão. Para marcar o início do Ano Santo Jubilar, que acontece de 22 de novembro de 2020 a 1º de janeiro de 2022 – , em Salvador, será celebrada a Missa de abertura neste domingo (22), às 7h30, na Matriz da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, onde reside a Congregação.

A Celebração Eucarística será transmitida, ao vivo, pelo Instagram @igrejaboaviagemssa e plo Youtube [para localizar o canal, o internauta deve inserir o nome da paróquia na caixa de busca]. Em virtude da pandemia, quem desejar participar presencialmente deve entrar em contato com a secretaria paroquial pelo telefone (71) 3314-1800.

Para falar sobre este momento de júbilo, o pároco da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, padre Davi Oliveira dos Santos, escreveu sobre os 300 anos dos Passionistas. Confira:

Este ano, nós religiosos Passionistas, celebraremos os 300 anos de fundação de nossa congregação. Nosso fundador, São Paulo da Cruz, nasceu no ano de 1694 na Itália (cidade de Ovada). Desde criança nutriu um amor a Jesus Crucificado; e aos 27 anos iniciou um retiro espiritual na cidade de Castellazzo. Durante 40 dias de retiro, iluminado pelo Espírito Santo de Deus, escreveu as primeiras Regras da Congregação e o seu Diário Espiritual. Para nós, Passionistas, esse é o momento fundante de nossa congregação. Do coração abrasado de nosso fundador floresce para a Igreja o nosso carisma que é a Memória Passionis (fazer continua memória do Cristo Crucificado). A Memória da Paixão de Jesus determina nossa identidade, nossa espiritualidade e nossa missão na Igreja; envolve-nos, orienta-nos e motiva-nos no processo de conversão pessoal e de nosso compromisso com os pobres e excluídos.

São Paulo da Cruz fundou os Religiosos Passionistas, as Monjas Passionistas e a Confraria da Paixão. Além disso, ele é o inspirador da família Passionista, institutos femininos e leigos que se referem ao carisma.  Estamos presentes em 62 países.

Os primeiros Passionistas chegaram a Salvador no ano de 1947 a convite do bispo Dom Augusto Álvaro Cardeal da Silva, que conheceu os Passionistas em uma visita a Roma. Estamos, desde então, na Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, que tem como sede a Igreja secular de Nossa Senhora da Boa Viagem, onde se conserva a belíssima tradição da devoção ao Senhor Bom Jesus dos Navegantes.

Durante esses mais de 70 anos de presença Passionista em terras soteropolitanas, a comunidade paroquial cresceu e se desenvolveu a sombra do nosso carisma.  Muitos missionários passaram por essas terras, entre eles Dom Washington Cruz (Arcebispo de Goiânia) e Dom Tommaso Cascianelli (Bispo de Irecê), eleitos bispos quando eram párocos. Além disso, tivemos duas santas paroquianas: Santa Dulce dos Pobres e a Bem-Aventurada Lindalva Justo de Oliveira. O nosso carisma floresceu e hoje é um dos sinais de vida e esperança para essa porção do povo de Deus. Atualmente a comunidade Passionista em Salvador é composta por três religiosos padres: padre Davi Oliveira dos Santos, padre José Nunes e padre Everaldo da Cruz.

Ano Santo

Imagem de São Paulo da Cruz, na Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem

O Ano Santo Passionista terá início no dia 22 de novembro de 2020 e seguirá até o dia 01 de janeiro de 2022. Neste período iremos aprofundar a mística da memória da Paixão de Jesus, por meio do tema jubilar: 300 anos: Gratidão, Profecia e Esperança.

Aqui em nossa paróquia, no dia 22 de novembro teremos a Solene Liturgia de abertura do Ano Santo Jubilar. Na ocasião iremos inaugurar a Capela de São Paulo da Cruz. A Celebração acontecerá às 7h30 e será transmitida pelas redes sociais. Durante todo o Ano Santo teremos várias atividades para divulgar o nosso carisma.

O que nós Passionistas desejamos com esse ano santo é tornar conhecida a nossa  espiritualidade, ensinada e transmitida por São Paulo da Cruz, que é bela e simples e, sobretudo, muito concreta e prática. É uma espiritualidade humana, pois tem sua origem na humanidade de Jesus em Sua Paixão. Queremos fortalecer a chama da esperança que é contemplar a vida na morte de Jesus, testemunhar a força de Deus na própria fragilidade e profetizar a esperança no sofrimento do nosso povo.

Eis a nossa missão.

Pe. Davi Oliveira dos Santos, Cp

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário