Festa em honra a Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa em Amaralina

nossa-senhora-dos-mares-da-lagoaCom o tema central “Maria, Mãe de misericórdia”, a paróquia São José de Amaralina, localizada no bairro de Amaralina, celebra no dia 10 de setembro, às 18h30, a solene festa de Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa, que será presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador, Dom Marco Eugênio Galrão.

Até o dia 10 acontecem as celebrações preparatórias, com a adoração ao Santíssimo Sacramento, a partir das 18h, seguida da Santa Missa, às 19h. A cada noite a paróquia recebe padres convidados como o padre Paulo Nunes (paróquia Santo André), padre Josuel Jesus (Formador do Seminário Central) e padre Jean Carlos (paróquia Sagrada Família), para refletirem sobre os temas que lhes foram propostos.

Breve história de Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa

Certo dia, alguns pescadores foram pescar em uma lagoa em frente ao Quartel de Amaralina, onde hoje se encontra um campo e pode-se encontrar também um canhão de memória do ponto do Quartel. Ao jogarem a rede apanharam uma imagem e, sem conhecer, deram o título de Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa, que atualmente se encontra na paróquia São José de Amaralina.

Ao pegarem a imagem, os pescadores a levaram para a capelinha do Quartel de Amaralina, onde permaneceu guardada por alguns meses. Algum tempo depois, em alto mar, esses mesmos pescadores se depararam com uma grande tempestade, ventos fortes e o mar bastante agitado, colocando-os em apuros, com o risco de todos morrerem afogados. Em meio ao desespero e agonia, um dos pescadores (o mesmo que tinha apanhado a imagem de Nossa Senhora na lagoa), suplicou gritando: “Valei-me, Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa!”. A esse clamor, conta-se que o mar se acalmou, o vento cessou e todos foram salvos. Considerou-se então, pelos pescadores, que foi um milagre concedido pela intercessão de Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa.

Ao retornarem maravilhados com a experiência vivida em alto mar, salvos pela intercessão de Nossa Senhora, resolveram fazer promessas à Virgem e a levaram para a cabana dos pescadores que se encontrava na Colônia de Amaralina.

Depois de certo tempo de devoção e cuidado com a imagem, ela foi levada de volta para a Capelinha do Quartel de Amaralina, onde permaneceu guardada e protegida por um longo período, mantendo assim a devoção que era muito forte entre os pescadores da Colônia, que sempre rezavam aos pés da Virgem dos Mares e da Lagoa.

Após a criação da Paróquia São José de Amaralina, em um acordo com a Capelinha do Quartel de Amaralina, a imagem foi entregue aos cuidados da Paróquia São José de Amaralina que propaga a devoção de Nossa Senhora dos Mares e da Lagoa.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp