A Padroeira da Bahia

Cardeal Dom Sergio da Rocha

Arcebispo de São Salvador da Bahia, Primaz do Brasil

Na piedade popular que caracteriza a religiosidade baiana, há lugar para Todos os Santos, dentre os quais figura com especial devoção, a Padroeira da Bahia, Nossa Senhora da Conceição da Praia, celebrada anualmente no dia 08 de dezembro, solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, segundo o calendário litúrgico universal da Igreja Católica.

A Baía de Todos os Santos, com seus encantos, deu nome ao Estado da Bahia. O nome escolhido para a larga e formosa baía, por causa do Dia de Todos os Santos, preanunciava que ela seria a terra em que iriam habitar santos, como S. José de Anchieta, Sta. Dulce dos Pobres e Beata Lindalva, além dos inúmeros santos anônimos, homens e mulheres que vivem a santidade no anonimato da vida cotidiana. A escolha do sugestivo nome atribuído à baía recém descoberta sinalizava a devoção aos santos que marcaria o calendário de festas da Bahia, do início ao final do ano. A piedade popular, com as suas várias expressões, está nas raízes da cultura baiana, moldando a identidade cultural do nosso povo. É preciso preservar e valorizar, sempre mais, o rico patrimônio histórico, cultural, artístico e religioso de Salvador e de toda a Bahia.

A devoção a Nossa Senhora da Conceição da Praia tem seu centro irradiador na bela igreja edificada em sua homenagem, em Salvador, a belíssima Basílica Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Praia, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Visitada por devotos, turistas e apreciadores da arte sacra, movidos pela beleza artística do templo e da imagem, ela tem sido fonte de paz e de esperança, ao elevar os corações para o alto. Segundo dados históricos, a imagem foi trazida para Salvador por navios portugueses, em 1549, por ordem de Tomé de Souza, primeiro governador geral do Brasil, e colocada em uma capela erguida em sua homenagem, mais tarde substituída pela atual igreja. Em 1946, o Papa Pio XII conferiu à igreja o título de Basílica e o Papa Paulo VI, em 1971, proclamou Nossa Senhora da Conceição da Praia como Padroeira do Estado da Bahia, a pedido do Cardeal Dom Avelar Brandão Vilela e dos bispos baianos.

É importante valorizar sempre mais o título de “Padroeira da Bahia” atribuído a Nossa Senhora da Conceição da Praia, de modo especial, por ocasião da sua celebração litúrgica. Nestes tempos difíceis da pandemia, não estamos sozinhos. Conosco caminha a Mãe de Jesus, Senhora da Imaculada Conceição, intercedendo por nós e ajudando-nos a seguir a Jesus, ensinando-nos a ser mais fraternos e solidários com os que mais sofrem. A fé em Cristo e a devoção mariana não podem ficar restritas ao templo ou aos momentos de oração, mas devem se prolongar no dia a dia em gestos concretos de fraternidade, solidariedade e serviço.

*Artigo publicado no jornal A Tarde, em 05 de dezembro de 2021.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

Contatos

© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por