Advento: expectativa para o nascimento de Jesus

Um caminho de preparação que exige abertura e disposição de coração, mas que, também, permite que os cristãos vivenciem, pouco a pouco, os mistérios de Cristo no momento presente. Com origem no latim, a palavra Advento (Adventus) significa aproximar-se, e este tempo litúrgico faz um convite aos cristãos para que escutem as vozes dos profetas e do próprio Jesus, anunciando a chegada do Reino de Deus.

Escatologicamente, o Advento recorda a dupla vinda do Senhor, ou seja: entre os homens e no fim dos tempos, inserindo os cristãos na missionariedade de Cristo que, de fato, é presença salvífica. “A Igreja tem o seu processo de orientação espiritual dividido em ciclos, que vão nos ajudar a bem viver a experiência da fé. Uma dessas experiências é preparar o Natal. Então, a perspectiva do Advento é organizar a experiência da fé para acolher aquele que está chegando: bendito Aquele que vem, que é o Senhor Jesus, o Emanuel, Deus conosco”, afirma o padre Lázaro Silva Muniz, do clero da Arquidiocese de São Salvador da Bahia.

Neste período, alguns símbolos ajudam os fiéis no caminho de preparação. “A fé possui características bastante simbólicas, por isso a Igreja procura também traduzir essa experiência religiosa em símbolos e em sinais, como, por exemplo, as cores litúrgicas. Então, o Tempo do Avento já tem uma característica muito própria, porque muda a cor: nós voltamos para o roxo ou lilás, para dar esse sentido de revisão, de olhar para a vida, de uma reestruturação da vida para a chegada do Senhor”, diz o padre Lázaro.

Além da cor litúrgica, o Advento possui um símbolo importante: a coroa. “Ela representa a passagem e o circular do tempo, que vai nos fazer caminhar na luz. São quatro semanas do Advento e a cada semana vamos acendendo uma luz, para irmos completando esse ciclo, até chegar o grande dia do Natal. Lembremos que o Natal é a festa da chegada da luz, que brilha nas trevas da nossa vida, da nossa ignorância e do nosso erro”, diz o sacerdote.

Os ramos verdes e os sinos também são repletos de significados. “O Natal traz características muito próprias de outro lugar, no hemisfério Norte, com neve. Então, encontrar um ramo vivo era sinal de que mesmo embaixo de todas as dificuldades, de todas as dores, de toda a neve havia vida, e é essa vida que depois brota com todo a intensidade, com toda a força; é essa vida que nós celebramos. O sino no Natal é para anunciar que esse dia festivo chegou e que Jesus está no meio de nós, que o Messias está encarnado, a estrela de Belém não foi uma quimera, mas foi uma verdade. Então, estamos celebrando, vibrando, sabendo que Ele já está no meio de nós, mas que nós queremos que Ele volte logo para finalizar em nós esse processo de salvação, para que a salvação aconteça e assim sejamos todos livres em Jesus Cristo”, explica o padre Lázaro.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

Contatos

© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por