Arquidiocese Notícias

Arquidiocese de Salvador adere ao movimento Maio Amarelo do Detran/BA

“Eu penso que o problema do trânsito, as mortes que ocasiona, não é um problema só do Detran é da sociedade, e tudo o que diz respeito à sociedade, interessa à Igreja, porque a Igreja trabalha com as pessoas”, explica Dom Murilo.
“Eu penso que o problema do trânsito, as mortes que ocasiona, não é um problema só do Detran é da sociedade, e tudo o que diz respeito à sociedade, interessa à Igreja, porque a Igreja trabalha com as pessoas”, explica Dom Murilo.

Com objetivo de mobilizar órgãos de governo, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para uma maior conscientização de trânsito, o Detran/BA realizou hoje (07), no pátio do departamento, a solenidade de adesão ao Movimento Maio Amarelo.

O Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, esteve presente no evento e não só deu apoio ao movimento, como também já iniciou alguns projetos de parceria com o Detran no que diz respeito à conscientização de transito e propagação da campanha dentre a comunidade católica. Uma das propostas é convidar as escolas católicas para um trabalho de conscientização dos jovens.

O Diretor geral do Detran, Luiz Maurício Bacellar Batista, afirma que a intenção é reunir entidades para que elas ajudem o departamento de trânsito a conscientizar a população. “Estimulados por uma resolução da ONU, que torna o mês de maio o mês mundial para que a gente chame a sociedade civil a atenção, para o grande número de acidentes de transito, nós, no Detran da Bahia, estamos reunindo uma parcela significativa das entidades da sociedade, para que elas junto com o Detran, se comprometam a levar para o seu meio discussões sobre acidentes de trânsito na Bahia”.

Dom Murilo vê o problema do trânsito como algo que deve envolver toda a sociedade e vê a igreja como membro importante para o apoio ao movimento. “Eu penso que o problema do trânsito, as mortes que ocasiona, não é um problema só do Detran é da sociedade, e tudo o que diz respeito à sociedade, interessa à Igreja, porque a Igreja trabalha com as pessoas”, explica.

De acordo com a assessoria do Detran, em 2014, no primeiro ano do movimento, os números alcançados impressionaram: foram mais de 700 mil visualizações em postagens realizadas em maio, além de mais de 80 mil visitas no site do movimento.
O mês de maio foi escolhido pelo departamento para protagonizar o movimento por que foi em 11 de maio de 2011 que a ONU (Organização das Nações Unidas) lançou a Década de Ação pela Segurança no Trânsito e pediu uma força tarefa junto aos países membros dessa entidade, para convergirem esforços até 2020.

Já a cor amarela, simboliza atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

Dom Murilo ressalta a importância da Igreja no processo e se compromete a colaborar com a iniciativa de forma ampla. “Eu penso que a Igreja atinge muitas pessoas e pode dar uma boa colaboração para uma consciência de que nós teremos o trânsito que nós construirmos. Isso se nós dermos nossa colaboração de melhorarmos o número de mortes, de sofrimento, de perdas irreparáveis”, diz.

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário