Caminhar na esperança

Cardeal Dom Sergio da Rocha

Arcebispo de São Salvador da Bahia, Primaz do Brasil

A capacidade de superação de situações difíceis torna-se cada vez mais importante no contexto da pandemia, com tantos problemas e desafios que têm surgido ou se agravado. Na vida cotidiana, em qualquer contexto sociocultural, ocorrem situações de estresse, pressões e frustrações, na vida das pessoas e das famílias. A vida é um aprendizado permanente que vai nos ensinando a lidar com elas e a superá-las. Há problemas de cunho social que trazem muito sofrimento, cuja solução ultrapassa o que cada pessoa possa fazer, exigindo respostas maiores nos âmbitos político e econômico. Mas, as posturas adotadas por cada um podem contribuir muito para a sua superação. Além do exercício consciente da cidadania, com a participação na vida política, há posturas fundamentais a serem adotadas no enfrentamento dos problemas do dia a dia, tais como as dificuldades econômicas, as enfermidades e as crises nos relacionamentos em casa ou no trabalho.

É necessário, antes de tudo, vencer as tendências ao desânimo e à acomodação, que não resolvem os problemas, mas tendem a agravá-los, ou querer resolver tudo a curtíssimo prazo, o que não condiz com o ritmo da vida. O enfrentamento sereno e firme dos problemas e contrariedades é um aprendizado constante. A natureza da pessoa humana permite transcender as situações-limite e caminhar sempre com persistência e esperança. Para isso, conta muito o horizonte de sentido da vida e do caminhar, que têm suas raízes mais profundas na espiritualidade. A fé tem sido fundamental na superação dos problemas e na conquista da saúde emocional. O cultivo da oração e da meditação tem contribuído muito para a recuperação de pessoas enfermas, conforme demonstram pesquisas médicas. Não basta a capacidade intelectual ou o acúmulo de conhecimentos científicos e tecnológicos, por mais importantes que devam ser.

Tem sido difundida, cada vez mais, a palavra “resiliência”, que pode ser difícil de ser falada ou entendida, mas que tem especial importância no enfrentamento de situações difíceis. O termo tomado da física, aplicado à resistência de materiais, adquiriu novo significado no âmbito da psicologia, expressando a capacidade humana de resistir e superar os problemas, de permanecer em pé ao invés de desmoronar, de perseverar em vez de desanimar. Embora a resiliência seja pessoal, não se trata de fechamento sobre si, de contar unicamente com as próprias forças. No enfrentamento e superação dos problemas, temos necessidade do outro, familiar, amigo ou colega. Há muita gente à espera de atenção, necessitada de uma palavra amiga e de gestos fraternos de solidariedade. A força para vencer as adversidades torna-se muito maior quando se pode contar com o próximo e, acima de tudo, com Deus, que nos permite caminhar sempre na esperança.

*Artigo publicado no jornal A Tarde no dia 17 de julho de 2022.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

Contatos

© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por