É tempo de esperar… E tempo de viver

Mariana Sarmento de Abreu

Missionária consagrada da Comunidade Católica Nascidos da Cruz

Atualmente as pessoas não têm tempo para entender quem realmente são. Tudo tem acontecido de maneira tão rápida e agressiva que fica difícil experimentar a vida com alegria, leveza e confiança, porque tudo precisa acontecer de maneira instantânea. O agora é algo tão comum hoje em dia que parar para pensar é sempre um grande desafio, precisa-se com urgência de espaços para respirar sem ficar pensando em respostas imediatas ou naquilo que é para ser feito no próximo minuto, por exemplo. Desta forma, esquece-se que as coisas, normalmente, levam tempo para acontecer e quando falamos do que é real, principalmente – e a vida é real -, é preciso esperar.

Com frequência comenta-se a respeito da vida e o quanto precisamos valorizá-la, sobre a necessidade de ter assistência, cuidado e até mesmo de como encontrar um significado para ela, da busca por sentido e qualidade. No entanto, é necessário perguntar se realmente temos dado importância à vida de maneira geral, sem pensar egoisticamente ou até mesmo sem interromper aquele processo natural que faz parte dela e a torna tão única e irrepetível: o nascer, o desenvolver, o alimentar, o investir. Se olharmos um pouco mais a natureza à nossa volta vamos logo encontrar vida e uma beleza que, sem dúvida, revela o seu Criador e perceber, por exemplo, que parte do que torna as flores, as árvores e os pássaros lindos é simplesmente o tempo que levou para crescer ou o processo que precisou passar para mostrar quem é.

Entender quem somos é o processo mais profundo e belo que o ser humano decide trilhar e o mais interessante nele é que ninguém o pode fazer por nós mesmos. O fato é que não tem como percorrer esse caminho de encontro consigo mesmo sem encontrar-se com Aquele que nos habita, que está no mais íntimo de nós, experimentando com profundidade o Seu amor e a Sua infinita misericórdia.

É preciso tempo para encontrar-se com Ele! Quando o homem se afasta da verdade de quem é ou está parado em limites, fraquezas ou fracassos, ou simplesmente se distanciou Daquele que revela a sua verdadeira essência, ou ainda porque se acostumou com a visão limitada que traz a respeito de si mesmo, é muito fácil ficar confuso e perdido quando se move tão rápido sem manter os olhos fixos em Deus. Isso também acontece quando se desejar alcançar alguma meta ou quando deseja agradar a todos fazendo escolhas sem pensar nas consequências diretas que atingem de maneira negativa a própria vida ou a vida de outros.

A vida é cheia de surpresas, desafios e até mesmo exigências que precisam ser correspondidas com coragem e responsabilidade. Por isso, a vida pede de nós empenho, decisão, compromisso, mas também simplicidade e atenção àqueles mínimos detalhes que são extremamente importantes e que, geralmente, não aparecem, ficam escondidos no cotidiano e possuem ricos significados. Somos todos aprendizes e, como em qualquer ofício que se exerce, com o tempo ganha-se habilidade no manuseio de cada instrumento ou objeto. Ou seja, vamos vivendo com a destreza que a vida nos oferece a cada dia, sendo um trajeto percorrido a partir das próprias escolhas num processo contínuo de descobertas e amadurecimento que vai implicar sempre numa adesão total à vontade do Criador.

Diante disso, é necessário mover-se para dentro de si mesmo no ritmo que o Senhor apresentar, encontrar-se com Ele e experimentar do verdadeiro sentido que o Amor dá à nossa existência. Não ficar parado, pois o convite é para olhar Àquele que fora transpassado, isto introduz-nos neste grande mistério do amor de Jesus que “amou-os até o fim”, mas está vivo em nosso meio e permanecer no espaço que Ele escolheu para cada um, um espaço único, simples e seguro, um verdadeiro refúgio e lugar de intensa alegria, ou seja, uma porta aberta que se torna para todos fonte de verdadeira vida e esperança.

Por fim, entende-se quem é à medida que se disponibiliza para colocar-se na presença viva do Cristo Crucificado, parando e dedicando um tempo qualitativo para este encontro que muda a vida. Permitir que Ele retire as nossas máscaras, revelando tudo, afinal de contas a vida não é uma peça teatral, precisa ser real e, desta forma, é de fundamental importância experimentar o renascer da água e do Espírito para nascer de novo e viver de novo num ciclo contínuo e intenso, mostrando que o amor incansável de Deus prevalecerá, Ele que nos faz capazes de viver.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Assine nossa News

Seja o primeiro a receber nossas novidades!

Contatos

© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por
© Copyright Arquidiocese de São Salvador Bahia. Feito com por