Arquidiocese Notícias

Pequenos dizimistas: crianças aprendem na catequese a importância do dízimo

Dízimo Mirim - Foto Diocese de JoinvilleAs ações em prol do Dízimo Mirim na Arquidiocese de Salvador começaram em 2002 sob o slogan “criança educada para a partilha, criança consciente”, mas ganharam novo gás em 2013, quando o arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, scj, incluiu nas diretrizes daquele ano os pontos 19 e 20, focados na catequese. No texto, a orientação é de que o Dízimo faça parte da grade de conteúdo dos catequisandos e seja abordado de forma constante.

“Percebemos que os catequistas mostraram mais interesse em fazer esse trabalho nas paróquias pelo fato de essa direção ter partido do arcebispo”, afirma Cledinalva Nunes, assessora da Pastoral Arquidiocesana do Dízimo. De acordo com ela, “as pessoas só ouvem falar de Dízimo quando são adultas, então, se a criança e o adolescente têm dentro da catequese uma palavra sobre o tema, vai ficar alguma coisa e na fase adulta o indivíduo vai lembrar que é uma proposta bíblica e não vai se omitir diante dessa realidade pastoral”, prevê.

A Pastoral Catequética tem motivado os integrantes neste propósito. “O evento realizado em parceria com a Pastoral do Dízimo este ano [Semana Bíblica Catequética] reuniu cerca de 300 catequistas”, exemplifica a coordenadora da Pastoral, Irmã Nelcelina Barbosa. O material que serve como base do trabalho da equipe tem como carro-chefe o livro “Catequese com Crianças”, assinado pelos padres Jordélio Siles Ledo e Eduardo Calandro.

Uma das redatoras da publicação, a Irmã Nelcelina destaca uma das histórias contidas no livro para facilitar o entendimento dos temas abordados. “Há um conto em que uma crianças renuncia uma vez por mês o dinheiro que recebe dos pais para o lanche, para devolver o Dízimo”, conta.

Materiais educativos não faltam para estimular essa consciência. “A gente tem um panfleto escrito com o passo-a-passo sobre como implantar Dízimo Mirim na catequese e temos dois missionários preparados para conversar com os catequistas e com os pais pra não gerar desconforto com os pais e eles acharem que a Igreja está pedindo dinheiro para a criança. No encontro de formação, temos um momento especifico com os pais da crianças”, explica Cledinalva.

Exemplo

Na Arquidiocese de Salvador, pelo menos três paróquias possuem um trabalho avançado no Dízimo Mirim: A Cristo Rei e São Judas Tadeu, na Baixa de Quintas, a Nossa Senhora da Vitória, e a São Francisco de Assis, na Boca do Rio.

Nesta última, existe a Pastoral do Dízimo Mirim, formada por oito crianças, que participam das missas aos sábados e atuam nos plantões de devolução do dízimo. “Eles recebem, prestam contas, sempre sob a supervisão de um adulto”, conta a integrante da Pastoral do Dízimo da paróquia, Bivalma Feitosa.

Na Paróquia São Francisco de Assis, as crianças, participam de atividades de formação e fazem visitas às turmas de catequese para falar sobre a importância do Dízimi. “Elas gostam muito e participam com entusiasmo. Assim, crescem sabendo o que é a devolução do dízimo”, orgulha-se.