Semana Nacional dos Migrantes teve início com a Santa Missa presidida por Dom Valter Magno

Agentes e atendidos pela Pastoral dos Migrantes e Refugiados

Neste domingo, 16 de junho, a Igreja no Brasil deu início à Semana Nacional do Migrante. Na Arquidiocese de São Salvador da Bahia, a abertura aconteceu com a Santa Missa, presidida pelo bispo auxiliar, Dom Valter Magno de Carvalho, que também é referencial para as pastorais sociais, no Santuário Nossa Senhora da Conceição Aparecida (Imbuí).

Na Celebração Eucarística, que foi concelebrada pelo vigário do Santuário e assistente eclesiástico da Pastoral dos Migrantes e Refugiados, padre Jaime Rojas, estiveram presentes homens, mulheres e crianças que são acompanhados por esse serviço de amor ao próximo.

“A Pastoral do Migrante e os migrantes estão no coração do nosso querido Papa Francisco. O primeiro gesto dele no seu Ministério Petrino foi ir ao encontro dos migrantes que chegavam lá na Itália. Então, é uma pastoral muito importante, muito necessária. Não para de chegar migrantes, não somente aqui na nossa Arquidiocese, mas em todo o Brasil, são pessoas que precisam de comida, precisam de carinho, precisam também serem inseridas na vida da nossa sociedade, da nossa cidade”, afirmou o padre Jaime.

De acordo com o padre Jaime, cerca de 200 migrantes e refugiados, entre venezuelanos, angolanos e haitianos, estão sendo acompanhados na Arquidiocese de Salvador, que, além do Santuário, conta com a Pastoral do Migrante nas paróquias Ascensão do Senhor e Santo Agostinho. “Nós acolhemos os migrantes independentemente da nacionalidade, da religião e da raça. Quando eles chegam, o mais urgente para muitos deles é a questão da moradia. Muitos chegam, até famílias, que não têm onde morar, então temos duas casas nas quais eles podem morar por um período máximo de três meses enquanto também os ajudamos com a documentação, para que possam conseguir um emprego e possam realmente ter o sustento, possam ser independentes e ter dignidade”, disse o padre Jaime.

No Brasil há 15 anos, sendo nove em Salvador, a venezuelana Alejandra Maria Escalona Bolaños, atualmente colabora na coordenação da Pastoral do Migrante no Santuário e destaca que esse trabalho é importantíssimo. “Não é dar apenas cesta básica ou ajuda econômica, mas, sim, acolher as pessoas: é dar um novo sentido à vida de quem deixou sua terra, seu país de origem e veio para o Brasil por diversos motivos. É muito importante você sentir um abraço, sentir que não está sozinho”, destacou.

Este ano, a Semana Nacional do Migrante tem como tema “Migração e Casa Comum: alarga o espaço da tua tenda” (Is 54, 2). Na Sé Primacial do Brasil, em virtude do período de festas juninas, o encerramento desta iniciativa acontecerá em 6 de julho, com a Santa Missa, às 19h30, na Comunidade São Martinho, da Paróquia Santo Agostinho, em Areia Branca, Lauro de Freitas.

Fotos: Sara Gomes